Notícias Central dos Fornecedores
30/03/2015 --- Vendas para Páscoa

25/03/2015 15h36 - Atualizado em 25/03/2015 15h51
Supermercados investem para driblar
crise e aumentar vendas para Páscoa
Preços dos ovos de chocolate estão 10% mais caros, segundo economistas.
Brinquedos garantem alta nas vendas e atraem público infantil no período.
Do G1 Itapetininga e Região
FACEBOOK
Preço dos ovos de páscoa continuam em alta (Foto: Reprodução/ TV TEM)
Preço dos ovos de páscoa continuam em
alta neste ano (Foto: Reprodução/ TV TEM)
O consumidor vai pagar mais caro para garantir o presente de Páscoa da criançada neste ano em Itapetininga (SP) e região. Os preços de ovos de chocolate estão 10% mais caros, segundo economistas. Além do cacau, que é importado, brinquedos que vêm de brinde são da China e também sofrem os impactos da importação. Para atrair o público infantil, as indústrias apostam em inovações.

A estratégia dos supermercados para vender mais, mesmo com os preços mais altos, foi antecipar a exposição dos ovos de chocolate antes da data programada. “É uma estratégia porque a criança acaba vendo, então, os pais compram antes e durante a Páscoa”, explica Alexandre Moreira, gerente de um supermercado.

A arquiteta Marina Corradi levou para casa um ovo antecipado. “Acabo comprando duas ou três vezes, pois sempre que venho ao supermercado acompanhada da minha filha eu levo um”, conta.

Para a comerciante Ana Paula Martins, ir ao supermercado nessa época também é garantia de sair com o ovo de chocolate no carrinho. "Esse ano os ovos estão muito mais caros. Anualmente eles sofrem reajuste, mas não tem jeito, pois para as crianças é preciso levar.”

O economista Rodrigo Augusto de Lima orienta os pais na hora de comprar um ovo de Páscoa e também economizar. “A dica é não levar as crianças e também fazer com que os adultos resistam às tentações. Teremos um aumento, mas o que resta é pesquisar e encontrar a melhor alternativa.”

Em um supermercado da região, o preço não vai barrar a expectativa de vender 10% a mais do que em 2014. “Nos antecipamos para garantir a venda e mesmo com a elevação do preço motivada por esta crise econômica, acreditamos que haverá um acréscimo nas vendas em relação ao ano passado”, afirma Ednewton Piri, gerente de supermercado.
Fonte: Globo.com

04/09/2013 --- Supermercados estimam alta de 7,7% nas vendas de final de ano em 2013
Click to see a larger image. Click to see a larger image.

O setor de supermercados estima um crescimento de 7,7% nas vendas de Natal e Ano-Novo em 2013 na comparação com o ano passado. O percentual representa leve baixa em relação à projeção de 2012, que apontou alta de 8,9% nas vendas. Segundo pesquisa divulgada nesta segunda-feira, dia 4, pela Associação Gaúcha de Supermercados (Agas), a comercialização específica para as festas de final de ano deve representar 24,5% do faturamento total do setor em novembro e dezembro.

O levantamento encomendado junto ao Instituto Segmento avaliou as intenções de compra, as projeções de vendas e as variações de preços de 21 itens. Dos produtos avaliados, 14 serão comprados majoritariamente em supermercados. Entre os 200 consumidores ouvidos pelo instituto, o gasto médio em supermercados será de R$ 407,03 para o Natal e o Ano-Novo, contra R$ 326,02 do estimado em 2012.

Tradicionalmente, carne bovina, aves natalinas, bebidas em geral (refrigerantes, cervejas e espumantes), cortes suínos e panetones são os itens mais procurados nas gôndolas do setor. Segundo estimativas da Agas, os supermercados vão ficar com pelo menos 20% dos R$ 9 bilhões a serem movimentados na economia gaúcha pelo 13º salário, equivalente a R$ 1,8 bilhão.

Formas de pagamento

Ao contrário de 2012, quando a maior parte dos consumidores mostrou preferência pelo pagamento à vista das compras, para 2013 as vendas a prazo devem predominar. Enquanto no ano passado 66% preferiu pagar à vista, neste ano 67,5% dos consumidores querem mais tempo para quitar as dívidas feitas no período.

Balanço

Com o movimento de fim de ano, a Agas estima um crescimento de 6,9% do setor em 2013. De acordo com a entidade, contribuem para o resultado fatores como o pleno emprego, a queda da informalidade, o aumento da preferência por supermercados em datas festivas e os investimentos das indústrias em lançamentos e divulgação.

Previsão na variação de preços para 2013:

Produtos alimentícios: 9,9%
Bombons: 6,5%
Peru/ Chester/ Pernil: 5,9%
Carnes Bovinas: 5,6%
Carnes Suínas: 15,2%
Refrigerantes: 9,7%
Cerveja: 9,9%
Panetones: 6,9%
Champanhas/ Espumantes: 4,6%
Vinhos Nacionais: 4,3%
Especiarias (passas, nozes, castanhas, etc): 6,1%
Bebidas destiladas (uísque, vodca, etc): 6%
Artigos de bazar: 5,7%
Peixes/ Bacalhau: 4,6%
Brinquedos: 11%
Presentes para a família: 4,3%
Vinhos importados: 4,7%
Enfeites para decoração de natal: 7,3%
Roupas: 5,5%
Eletrodomésticos: 9%
Eletroeletrônicos: 0%

Fonte: Agas

13/11/2012 --- As 10 Principais Tendências da Internet

1. Geolocalização – O que não falta na internet é informação. No entanto, o internauta quer conteúdo relevante, que seja importante para ele. Dessa forma, a geolocalização tem sido uma grande tendência, levando informações ao usuário de acordo com o local que ele se encontra.

2. Conteúdo personalizado – O internauta quer ter cada vez mais os ambientes com a sua cara. O conteúdo personalizado é a bola da vez. Em um portal de esportes, por exemplo, o internauta quer segmentar o que lê pelo time do coração, o esporte predileto e ter essas informações logo de cara. É cada vez mais comum fazer com que o internauta se sinta em casa.

3. Construção colaborativa – A internet possibilita cada vez mais que as pessoas possam gerar e compartilhar informações. Guias ou redes sociais com conteúdo colaborativo são ótimas opções para fazer os usuários interagirem e passarem a discutir e criar tendências.

4. Recomendação – Entender o perfil do seu usuário e recomendar produtos ou serviços baseado em seu perfil será um grande diferencial, pois além de aumentar a conversão de venda é uma excelente estratégia de fidelização, uma vez que cria uma relação de confiança com seu cliente. Ele se sente único.

5. Mobilidade – Com a invasão dos smartphones e tablets as pessoas estão cada vez mais tempo conectadas. A mobilidade está na palma da mão, no bolso de cada um e as pessoas querem consumir produtos e serviços de todos esses aparelhos, em qualquer lugar, no trânsito, na rua, no restaurante. Os usuários estão conectados na internet a todo o momento. É um movimento quase instantâneo de recebimento, interação e resposta com essa tecnologia móvel. E esse novo hábito gera, por sua vez, um mundo de oportunidades para os empreendedores.

6. Multiplataforma – Com a tendência da mobilidade, foi criada a necessidade de um conteúdo/serviço ser acessível a partir de qualquer plataforma. Seja em um desktop, smartphone, tablet ou até mesmo em virtual work place. As empresas do futuro têm que oferecer seus produtos e serviços em todas essas plataformas e assim capturar seu cliente em todos os momentos.

7. Conexão com redes sociais – Cada vez mais os produtos vão se apoiar em determinados públicos alvos. E, para isso, as redes sociais são pontes essenciais para alavancarem esses segmentos. Uma marca precisa estar presente na rede social para saber como e o que estão falando sobre seus produtos e principalmente “conversar” com seu cliente.

8. Realidade aumentada – O que antes parecia coisa de cinema, hoje está praticamente à nossa porta. A realidade aumentada está aí, e cada vez mais é possível encontrar sites utilizando a tecnologia para criar mais interatividade entre os usuários e o produto.

9. Social commerce – O social commerce consiste em usar as redes sociais como uma plataforma de vendas. As redes sociais são a porta de entrada para os internautas criarem uma primeira relação com as marcas e produtos. Então por que não oferecer seus produtos nas redes sociais?

10. Interação entre o on e o offline – Cada vez mais é comum vermos uma experiência ser iniciada no mundo on-line migrando para o offline. Os sites de compras coletivas são ótimos exemplos dessa integração. Você pesquisa na internet sobre o local, procura a opinião das pessoas em redes sociais, compra o voucher, e aí passa ao mundo real utilizando a experiência virtual.
Fonte: Pequenas Empresas Grandes Negócios - Globo.com

12/11/2012 --- Por que anunciar na Internet ?

Não faz muito tempo, ninguém se preocupava em anunciar na internet. Hoje, a empresa que não se perguntar, “porque eu devo anunciar na internet”, estará com sérios problemas! A internet trouxe uma grande mudança ao mundo dos negócios: o acesso instantâneo a informações sobre produtos ou serviços, sejam eles os seus, ou os dos seus concorrentes.
Podemos perceber a importância da internet, com uma comparação simples. A Televisão demorou 13 anos para atingir 50 milhões de usuários. O computador demorou 4 anos e o Facebook atingiu 100 milhões em (pasmem!) nove meses!
O Brasil é atualmente, o quinto país com o maior número de internautas do mundo, segundo um levantamento feito em 2010 pelo site Royal Pingdom, o que demonstra o grande potencial, em termos de mercado, para os anúncios online.
Dos 72 milhões de internautas brasileiros, as pessoas entre 18 e 64 anos (os chamados economicamente ativos) representam 68%. E esse número não para de crescer. Dos 198,7 milhões de habitantes no Brasil, somente um terço é internauta.
Isso mostra que a internet é um grande aliado na hora de vender um produto ou divulgar uma marca!
Então não perca tempo e anuncie (também) na internet!

Segundo o F/Nazca, somos 81,3 milhões de internautas tupiniquins (a partir de 12 anos).
O Brasil é o 5º país com o maior número de conexões à Internet.
45,4 milhões de usuários acessam regularmente à Internet no trabalho ou em casa, aumento de 10% em um ano.
· 2010 fechou com R$ 14,8 bilhões em vendas, o que representa um terço de todas as transações entre varejo e consumidores feitas no Brasil
A internet se tornou o terceiro veículo de maior alcance no Brasil, atrás apenas de rádio e TV. 87% dos internautas utilizam a rede para pesquisar produtos e serviços. Antes de comprar, 90% dos consumidores ouvem sugestões de pessoas conhecidas, enquanto 70% confiam em opiniões expressas online
Quer mais motivos...

A Internet oferece maior flexibilidade e criatividade atingindo o público-alvo exato.
Atinge o público-alvo com a informação que ele deseja receber no formato mais interativo e integrado possível, tornando os anúncios uma complementação da mídia.
“Garantia de audiência” – Em 24 horas já há a possibilidade de mensurar 100% das atividades da campanha e se esta atinge o público-alvo do serviço/produto.
Troca simplificada e ágil de material: a substituição de uma peça online é simples e rápida.
Agora, muitos empresários deve estar se perguntando: Só quem tem site pode anunciar na Internet? É claro que NÃO. Qualquer pessoa pode anunciar. Fazer seu endereço comercial ter mais visitas ou, até mesmo, seu telefone tocar mais! Se você tem um site, endereço eletrônico, claro, deve anunciar para ter mais visitas, contatos, negócios. Mas se você não tem, anuncie seu produto e as formas de encontrar você para fazer negócios!

Outra duvida comum, só que tem computador consegue anunciar na internet? Novamente NÃO. Depois que você anuncia quem precisa ver o que você anunciou são as outras pessoas!

E por último, não pense que só quem quer vender alguma coisa pode anunciar na internet, se você divulgar seu endereço de seu escritório, sua igreja, um site com informações, com certeza você aumentará o número de visitas ou de pessoas que conhecem aquilo que você tem para oferecer.

Depois destas informações, que tal quebrar este preconceito e levar seus produtos e/ou serviços para ser anunciado na Internet?